Acordar pela manhã e perceber a presença de inúmeros fios de cabelo na fronha do travesseio pode ser um sinal de alerta para a calvície, também conhecida como alopecia. O problema é caracterizado pela redução total ou parcial de cabelos em determinada região, normalmente no alto, e costuma afetar homens e mulheres. Também é a principal causa da queda de cabelo.

O primeiro sinal da calvície é o afinamento dos fios. Em seguida, ocorre a redução do crescimento do cabelo no couro cabeludo e diminuição da densidade normal dos fios. Tudo isso acontece de forma lenta e só é identificada a existência de algum problema quando a escassez de fios começa se tornar progressiva.

Exame permite avaliar a causa da queda de cabelo para definir o diagnóstico

Em geral, uma pessoa perde de 50 a 120 fios de cabelo por dia, que são naturalmente repostos. Mas o excesso de fios no travesseiro ou que vão pelo ralo durante o banho, pode estar relacionado a outras causas que precisam ser investigadas pelo cirurgião capilar.

A calvície é reversível quando detectada ainda no começo. O médico confirma o diagnóstico por meio de um exame chamado tricoscopia, feito por intermédio de um aparelho que auxilia na avaliação do couro cabeludo e na identificação do aspecto dos fios. É um exame importante, solicitado pelo cirurgião capilar, pois permite a avaliação dos sinais clínicos que correspondem as queixas relacionadas a queda de cabelo: inflamações, descamações, rarefação e perda capilar. Todos esses sintomas podem ser verificados pelo equipamento de tricoscopia, que possibilita a ampliação do couro cabeludo e evidenciar, para o médico e o paciente em avaliação, os sinais relatados, facilitando o diagnóstico. As informações coletadas no exame servem de base para o tratamento em cada caso.

Tratamentos capilares variam de medicamentos a cirurgia

As alternativas para solucionar a calvície vão desde o uso de medicamentos na forma de xampu ou administrados por via oral, microagulhamento convencional ou com “drug delivery ” até a realização de cirurgia. O procedimento cirúrgico torna-se um recurso viável principalmente quando não há como reverter a calvície. As técnicas mais usadas são a Extração de Unidades Foliculares (FUE) e o Transplante de Unidade Folicular (FUT).

Na FUT, os fios são retirados da parte posterior da cabeça e implantados na área em que há perda capilar, enquanto na FUE, os folículos são extraídos um por um, também da região perto da nuca e lateral da cabeça.

As quedas de cabelo demoram para ser revertidas, por isso, ao perceber uma perda de fios acentuada ou muito diferente da considerada normal, o adequado é marcar uma consulta com o cirurgião capilar associado a ABCRC(Associação Brasileira de Cirurgia e Reconstrução capilar) para sanar o problema e recuperar os cabelos.